Pensamentos

História sem Fim

historiasemfim_destaqueOntem eu assisti ao filme História Sem Fim. Sim, já havia assistido um zilhão de vezes antes. Mas é que na sexta à tarde eu comprei o DVD do filme, que ainda vem com a parte II (ainda bem que só essa, porque a três é de dar dó…). E ontem eu inaugurei 🙂

Pra mim não tem Goonies ou Fantástica fábrica de chocolate que superem o que História sem Fim representou pra mim na infância (Karate Kid está fora de comparação porque o tema é outro, mas é também um filme que eu adoro e que marcou demais). O interessante foi notar — após anos sem ter assistido — que hoje eu vejo coisas que não via quando criança. Isso é óbvio, porque quando a gente é criança, vemos apenas a parte da fantasia. Mas eu fiquei impressionada com o tanto de coisas que a gente aprende, vendo ‘apenas mais um filminho bobo pra criança’.

Daqui por diante, vou falar sobre o filme, se você ainda não assistiu, pode ser que queira evitar essa parte, pra não perder a graça 😉

Primeiro, com aquela história do Pântano da Tristeza (essa é outra coisa legal sobre o filme, os nomes dos lugares…alguém aí já imaginou como seria o “Mar das Possibilidades”? hehehe): se você ficar triste, se deixar levar pela tristeza do lugar, é certeza que vai afundar. Na vida também é assim. Se nos deixamos levar pelos problemas e dificuldades, acabamos ‘afundando’ e talvez não haja mais salvação pra nós. Apesar das dificuldades, temos que prosseguir, que ir em frente, por mais difícil que seja — e é.

Depois, Atreyu precisa se encontrar com as Esfinges. As danadas são miseráveis: se você não confiar nas suas capacidades, elas te fuzilam com os olhos. E assim é conosco, no ‘mundo real’. Não podemos confiar apenas em nós mesmos, pois Deus está acima de nós. Mas também precisamos saber que Ele nos dotou de dons, e nos capacitou e ainda capacita para tudo aquilo que nos chama pra fazer. Precisamos acreditar que, com Ele, tudo é possível. Do contrário, somos ‘fuzilados’ pelas circunstâncias da vida.

Logo em seguida, ele terá que enfrentar a si mesmo. Terá que encarar quem ele é de verdade, diante do Espelho Mágico. Uma das frases que me marcou nessa cena (e pelo visto marcou o dono deste blog também — texto muito legal por sinal!) foi: “Diante do verdadeiro eu, a maioria dos homens foge gritando”. E não é que é assim mesmo? Dizem existem três Eus: o eu que os outros veem, o eu que eu penso que sou, e o eu que realmente sou. E esse nem sempre nos agrada. Mas ao nos depararmos com ele, não adianta chorar ou gritar. Temos que enfrentar a realidade e ver o que podemos fazer pra mudar o que for necessário mudar. E também saber que há coisas que não podem ser mudadas, só nos restando aceitarmos essas características, e procurarmos ser o melhor que pudermos…

No final, a Esperança vence, e Fantasia volta à vida. Mas antes, há cenas interessantes, como na conversa de Atreyu com Gmork (o ‘agente’ do Nada), em que este diz coisas como: “Fantasia não tem limites.” E não tem mesmo. Isso me lembra de uma música que diz que “O sonho de Deus é maior”. Fala de quando sonhamos com algo, o que Deus imagina é mil vezes maior que aquilo que pensamos ou imaginamos. Deus quer nos dar mais. Com Ele, os sonhos, as ‘fantasias’, por mais que pareçam impossíveis aos olhos humanos, não têm limites. Outra frase marcante foi: “Pessoas sem esperança são fáceis de controlar.” E infelizmente são mesmo. Dá pra fazer o que você quiser com alguém que não tem esperança em nada, que não sonha com nada, que não deseja nada na vida. Porque você pode convencê-la facilmente de qualquer coisa, e levá-la de um lado a outro. Isso não se dá com quem tem um alvo, um objetivo, e que fará de tudo que estiver ao seu alcance para conseguir o que mais deseja. Nada poderá fazê-lo desviar-se do alvo.

Por último, a melhor frase do filme, pra mim: “Todo começo é escuro.” Todo começo é difícil. O nascimento. O início dos estudos, do trabalho, do casamento. Enfim, todo princípio é doloroso, mas depois a alegria vem, como veio à Fantasia. Aprendi com esse filme que temos que sonhar, desejar, ansiar, mas também agir. De nada adianta querer e não fazer nada pra conseguir. De nada adianta fazer mil coisas sem saber o que se deseja, vagando sem rumo.

Acho que, como esse, vai ser difícil fazerem outro. Um filme que, pra o público infanto-juvenil de hoje em dia, tão ‘moderninho’, talvez não tenha tanta graça porque não tem tantos efeitos especiais super maravilhosos, nem tem lutas e violência, nem cenas de sexo explícito. Mas que marcou minha infância, e, apesar de adulta, ainda me encanta…

Anúncios

Navegação de Post Único

2 opiniões sobre “História sem Fim

  1. oi meu nome e fre bamor
    a 1 vez que eu assisti foi no dia que eu estiver com meus amigos do colegio na casa de uma amig com minha professora da minha infancia depois que eu assistir esta historia sem fim goste di mais espera que esta histria siga O nome messmo daa historia sem fim

    esta historia si paresi com aminha historia des do inicio da minha vida nao posso entra en detalhe nao mais

    minha vida e uma historia sem fimmmmmmmmmmmmmmmmmm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: