Pensamentos

Divergir sem odiar: é possível?

Hoje eu queria falar mais sobre imaturidade. Quem lê deve imaginar que sou um poço de sapiência, amadurecimento e razão. Nada mais longe da realidade. Sou ignorante pra muita coisa, imatura em muitas situações e às vezes posso fugir um pouco da razão quando discuto com alguém.

Mas eu não sou uma criança. Tenho mais de 30, e aprendi algumas coisas nessas três décadas de vida. Uma delas é que a gente tem que aprender a NÃO levar discussões pro lado pessoal, nem irritar-se com coisas de pouca importância.

Eu acho que todos têm o direito de expor seus pensamentos e opiniões, quer seja em blog, twitter ou coisa semelhante. Também defendo o direito de discordar de alguma ideia ou pensamento. Nada mais normal. Mas existe uma diferença entre discordar e irritar-se.

Imagine que o sr. Fulano de Tal adore assistir Friends. Vamos supor que eu não gostasse (mentira! hehehe). E vamos imaginar ainda que eu fosse ao twitter e enviasse o seguinte: @fulanodetal você sabia que Friends é uma droga? Só ignorantes assistem a esse seriado! E mais, você vai queimar no mármore do inferno, porque Friends é “do mal”!

Vocês acham que Fulano de Tal iria se chatear comigo? Sim, e com toda razão. Eu me dirigi a ele e o agredi — ainda que com palavras, apenas — de graça, sem motivo, sem necessidade. Não precisava disso. Porém, algo bem diferente é falar sobre coisas que estão incomodando, fazer algumas críticas ou simplesmente dar sua opinião sobre algo, mas sem se dirigir a ninguém em particular. Falar o que pensa sobre algo, mas sem direcionar a ninguém. Isso eu não acho errado. Você apenas expressou o que sente. Não o fez pra atingir ninguém, fez porque o ser humano tem essa necessidade de se expressar. De desabafar…

Mas imagine agora que eu fui ao twitter e postei que assisti Friends e não gostei. Não me dirigi a ninguém, apenas expressei minha opinião. Qualquer pessoa teria, sim, o direito de discordar, como eu citei antes. Defendo esse direito, ainda que não concorde com a opinião do outro. Mas se irritar? Chatear-se com isso? Levar pro pessoal e dar “unfollow” no Twitter?

Crendo ou não, foi isso que me aconteceu essa semana. Alguém deixou de me seguir por achar que eu “escrevo coisas polêmicas só pra dizer que tenho opinião”. E eu ainda soube que essa pessoa se “irritava” com certos tweets meus. Então me pergunto: pra que se incomodar tanto com algo que tem a ver apenas com gosto pessoal, que é igual a nariz: cada um tem o seu? Pra que se irritar tanto quando se critica algo de que você gosta? Eu não falei mal de ninguém da família dessa pessoa (que me deu unfollow), da profissão dela, do lugar onde ela mora. Mas a dor foi tamanha que parecia que eu tava amaldiçoando sua descendência até mil gerações… Gente, gosto é gosto. Tem gente que não gosta da frase, mas gosto não se discute! Não! Vale a pena se chatear com alguém por diferenças de gosto? E tem mais: quando você se irrita com alguém por uma bobagem como “o seriado preferido” ou o “estilo de música de que mais gosto”, você acaba limitando uma pessoa. É como se ela fosse só o seriado, ou a música. Ela pode ter 1001  características maravilhosas, mas como ela não gosta daquele seriado, daquele filme, ou daquela cor, ah, então ela não presta, e vou dar “unfollow”.

Eu fico me perguntando se tudo isso tivesse acontecido “na vida real”, em vez de no twitter. Como seria? A pessoa iria se irritar tanto? Como faria para me dar “unfollow”? Simplesmente ia dizer que sou doida por não gostar do mesmo que ela e iria se retirar? E desde quando todos temos que gostar das mesmas coisas? E desde quando só são legais as pessoas que gostam do mesmo que eu?

Desculpem o desabafo. Mas é que isso realmente me chateia, esse blog também é pra isso, pra eu falar do que me incomoda. Sei que vocês que leem nada tem a ver com isso (até porque quem tem nunca lerá, creio eu — infelizmente). Mas que isso sirva de lição pra todos nós: vamos aprender a discordar com elegância, sem levar pro pessoal. Quem é chique faz assim.

Navegação de Post Único

2 opiniões sobre “Divergir sem odiar: é possível?

  1. Pingback: Sobre ter opinião… « Pensamentos

  2. luiz cesar em disse:

    Muito boa a reflexão: divergir sem odiar! Parabéns !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: