Pensamentos

“Não sou a Lady Gaga”

Nunca fui fã de Sandy. Nunca gostei de suas músicas, acho a voz dela enjoada e com certeza achei muito esquisito o marido dela ter passado a noite de núpcias atualizando o twitter. Também não achei muito legal o fato de ela ter falado para todo mundo que ia casar virgem e depois reclamar que estavam pegando muito no pé por causa disso. Se não quisesse que pegassem no pé, não devia ter falado tanto acerca de algo tão íntimo e que só diz respeito a ela.

Mas acontece que não concordo com o que dizem sobre ela ser sem graça e sem sal, não apenas porque casou virgem — que é algo que eu apoio, com o que concordo plenamente e ninguém deveria recriminá-la por isso — , mas também por causa do jeito dela. Cada um tem seu jeito, que deve ser respeitado. Se ela fosse tipo Britney Spears ou Lindsay Lohan, o pessoal iria criticar porque ela seria doida. Como ela é calma, “na dela”, criticam também. Fica difícil!

Há algum tempo, li uma entrevista dela, e queria ter escrito um post aqui no blog antes, mas só agora apareceu a oportunidade. Ao ler essa entrevista, pude conhecer mais sobre Sandy, e assumo que me compadeci da “perseguição” que sofre. Até acho que mudei um pouco os conceitos que tinha sobre ela.

Gostei bastante dessa parte da entrevista (meus comentários estão em laranja):

Aí vem a adolescência e outro peso recai sobre você: atitude. As pessoas querem que você tenha mais atitude.

Eu não fui rebelde mesmo, assumo, eu não fui uma adolescente rebelde. Daqui a três anos eu terei 30 e não fiquei rebelde ainda. Eu tinha a vida que… Não precisava reivindicar nada, minha convivência com meus pais era fácil, tranquila, eu tinha liberdade. E se por um lado eu era criticada por ser comportada demais, por outro fui exemplo para famílias. As mães vinham dizendo: “Nossa, você é um exemplo para minha filha.” [Nossa, ser criticada por ser “comportada demais” é o cúmulo para mim. Existem pessoas comportadas, que se dão bem com os pais, sim! Você não precisa ser uma rebelde na adolescência para vivê-la em sua plenitude! Não sei por que o povo se irrita com quem não é rebelde].

Mas isso não tem glamour.

Pois é, não tem glamour para as pessoas, isso é brega. [Verdade, o que é uma pena…]

Aliás você tem pais que não se separam, você não briga com seu irmão, tudo que parece muito desinteressante para a mídia, não é?

Para a mídia e para o público, já que a mídia publica aquilo que o público procura. Não é interessante mesmo, pois é, minha vida é chata. Não tenho vida de artista, tenho vida de gente normal. [Que interessante a mídia! Querem ver sangue, miséria, tragédias. Quando o artista não dá isso, é “sem graça”. E quando dá, é criticado da mesma forma. Vai entender!]

Bom, não sei se vocês vão concordar comigo, mas também não é para isso que estou escrevendo esse post. Continuo não-fã da Sandy, continuo não ouvindo suas músicas, mas passei a vê-la de outra forma. Eu não gostaria de ser criticada porque fui uma adolescente comportada, porque me dou bem com meus pais ou porque casei virgem. E o interessante é que acabei encontrando coisas em comum com alguém de quem nunca fui admiradora. Gostei…

(Leia a entrevista na íntegra aqui)

Anúncios

Navegação de Post Único

4 opiniões sobre ““Não sou a Lady Gaga”

  1. Tadinha da Sandy. 😦

    Olha, também acho que nem precisa ser famoso para sofrer esse tipo de crítica. Na vida real mesmo isso acontece todos os dias e com todo mundo, ao menos uma vez na vida. Se você faz tudo certo, é taxado de careta. Se você é todo às avessas, é apedrejado.

    Na escolinha do meu filho eu li no mural de recados uma estorinha sobre uma corrida de sapinhos. Todos gritavam que os sapinhos não iam conseguir e aos poucos um a um foi desistindo, restando somente um deles, que venceu a corrida. Curiosos, todos queriam saber qual foi a tática que o último dos sapinhos usou para vencer. Foi quando descobriram que ele era surdo. Assim nós temos de ser, para algumas pessoas e situações na vida: Surdos e porque não, até mesmo cegos.

  2. Ei Dani!
    Eu era muuito fã da Sandy quando era criança, mas depois foi passando. Hoje eu não ligo muito, mas também não tenho nada contra, afinal, foi a ídola da minha infância toda, hahaha.
    E eu concordo com você. Um absurdo viver num mundo onde somos criticadas por sermos comportadas. Eu também nunca foi rebelde na adolescência e nem por isso podem dizer que não aproveitei essa fase da minha vida
    o.O
    Beijoss

  3. é isso aí. quem nasceu para sandy jamais será lady gaga. com todos os prós (que prefiro) e contras (deixo pra quem gosta).

  4. Gostei muito da sua análise sobre a entrevistas da Sandy.
    Vamos acabar com a idéia de que ser adolescente, tem que ser rebelde!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: